• Domina

Delicioso clichê



Parece que não, mas o Dia dos Namorados sempre é inspirador. Por mais clichê que seja, presentear a gata sempre será uma prioridade nesta data. Buquê de flores, chocolate, jantar romântico e por fim uma noite a sós, para uma intimidade gostosa, mais do que merecida.

O que ela não esperava é que eu tivesse uma surpresa para ela, mas na cama. Preparei o som ambiente, meia luz no quarto, ar-condicionado ajustado para que ela já ficasse nua, mesmo sem esquentarmos o clima.

Ela estava ansiosa, querendo saber o que eu estava fazendo, entender o que eram aquelas coisas, o que eu estava aprontando, como ela dizia, então eu coloquei uma venda de renda no meu rosto e no dela. De pé, ao lado da cama, de frente um para o outro, nos beijamos lentamente, com nossas mãos circulando livremente pelos nossos corpos, nos tocando ao ritmo do blues que gostamos. Nossos beijos sempre nos deixam excitados e ela ainda sem saber o que esperar, começou a querer me pegar, arranhando minha perna e acariciando minha virilha.

De forma suave, mas firme, segurei a mão dela, olhando profundamente nos olhos dela através da venda de renda preta, dizendo, “ainda não”!

Sugeri para ela que se deitasse de barriga para baixo e relaxasse. Sussurrei no ouvido dela: “hoje você está nas minhas mãos”. Deu para ver os pelinhos do pescoço se arrepiarem e ela se contorcendo levemente. Que delícia, a esta altura eu estava completamente excitado e estava ansioso por começar a minha primeira massagem tântrica nela.

Música ajustada, clima perfeito, ela na posição e meu óleo de massagem pronto para começar. Toques suaves nas costas, as vezes usando toda a mão, outras apenas as pontas dos dedos, desenhando o corpo dela em cada curva, em cada tattoo, observando a respiração mais ofegante, quando alguns pontos eram tocados. Aquele misto de tesão e calafrio se misturava também com um gemido baixinho e uma boca entreaberta.

Em transe, ela se vira para receber mais massagem. Coloco óleo em uma das mãos, até começar a transbordar entre meus dedos. Ela ainda de olhos fechados, sente o óleo morno gotejar entre seus seios, descendo pela barriga, umbigo e sua vulva. Por mais que eu a tenha tocado no ponto mais prazeroso naquele momento, era a massagem que a estava fazendo gemer cada vez mais intenso. Dava pra sentir o tesão dela com o meu toque, dava pra sentir ela fora do corpo e pedindo mais a cada instante e quando eu senti este desejo mais intenso, toquei seus grandes lábios. A vibração que já era forte ficou quase incontrolável. Era um gozo de corpo inteiro, onde cada parte do corpo dela gemia. Tudo que eu tocava era intenso. Seios, barriga, coxas e até os joelhos, tudo! Tudo era potencializado pelo momento, pela música e pela massagem também no clitóris. Nunca havíamos gozado por tanto tempo, foi maravilhoso!

O presente deste dia especial fui eu. Clichê, eu sei, mas minhas novas habilidades e um bom óleo de massagem, fez ela chegar aonde eu nunca havia levado antes. Já estamos querendo mais!



18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo